DOMINGO REZE UM MINUTO

Seguidores

quarta-feira, 17 de julho de 2013

COMUNISMO SE CURA COM VERDADE - E LIVROS


Um texto de Heitor de Paola:

"Sustento que não há outra saída do inferno comunista do que a indignação moral, do confronto consigo mesmo, com a culpa pelo grau de degradação ao qual já se caiu e que pode aumentar mais porque, como dizem na minha terra, por "porteira que passa boi, passa boiada"! Ou se cai fora ou o abismo é infinito e cada vez mais a auto-indulgência é necessária em doses crescentes. Não há argumento racional, provas científicas da charlatanice marxista, comparação de resultados econômicos, nada – pois todos que estão dentro sabem muito bem disto! Só vale a indignação moral, e esta exige que se passe a combater o mal do qual se saiu com todas as forças, não admite neutralidade nem tolerância. Chamar esta posição de maniqueísta é outra armadilha do relativismo moral que preceitua que não existe o mal nem o bem e que não podemos julgar nossos semelhantes pelas suas opções ideológicas. Podemos sim, se a conhecermos por dentro sabendo do que se trata. Segundo outro que saiu do inferno, David Horowitz, "contra-revolucionário é um nome para a sanidade moral e a decência humana, um termo de resistência para a depredação épica causada por sonhadores" (Politics of Bad Faith). Quando digo que não confio em comunistas sou criticado como intolerante, mas sei muito bem que comunista não tem palavra de honra, só palavra de ordem! O que é dito ou feito é o que convém à "causa" naquele momento, o que pode mudar qual piuma al vento ("qual pluma ao vento").
(...)
Desiludam-se os leitores que acreditam que o comunismo é uma utopia, muito menos uma utopia generosa, um idealismo quixotesco. Não é. Esta "utopia" só serve para atrair e seduzir simpatizantes – chamados por Lênin de idiotas úteis. Suspeito que a substituição no Brasil de idiotas por inocentes úteis serve a um propósito: iludir que alguém pode simpatizar inocentemente com um regime comprovadamente assassino e genocida no mais alto grau. Nunca encontrei um revolucionário comunista autêntico - nem quando eu era um, nem depois – que acreditasse por um segundo sequer na tal "utopia" que eles usam – nós usávamos – para enganar os trouxas e imbecis e convertê-los em idiotas úteis.

Lembro-me de como eram ridicularizados estes idealistas que serviam de excelente massa de manobra! Nunca houve esta tal de utopia, ou idealismo utópico — só como estratégia de doutrinação.

A razão principal pela qual a maioria das pessoas se deixa enganar pelos embustes comunistas é a ignorância a respeito da essência do mesmo ser uma máquina de produção contínua, ininterrupta de mentiras. Mas pessoas inocentes fazem perguntas ingênuas como: se é tão bom lá, porque você não vai para lá? Se o comunismo é bom para salvar a humanidade da brutalidade capitalista, porque n matar tanta gente? Por que as pessoas que vivem nestes paraísos são proibidas de sair para o exterior — o que jamais aconteceu nas "terríveis ditaduras militares de direita"? Como não há uma resposta racional para tais perguntas simples todos os militantes têm, na ponta da língua, um "você não está entendendo nada" e passam a demonstrar que o interlocutor é burro, ignorante, tacanho ou está seduzido pela ideologia "burguesa". É uma das primeiras coisas que o simpatizante precisa aprender para ser considerado "ampliável". Não, inocentes não caem nesta, é preciso uma grande dose de malícia que aos poucos se desenvolverá em má-fé.

O primeiro grande falsificador foi Karl Marx cuja visão fraudulenta da História, o 'materialismo histórico', precisava ser provada de qualquer maneira sob pena de ruir toda a estrutura charlatanesca que começara a inventar. Já de início o comunismo foi baseado numa grotesca falsificação de estatísticas feita pelo próprio Marx para justificar sua idéia de que a Revolução Industrial e o desenvolvimento capitalista tinham piorado a situação econômica dos trabalhadores ingleses. Um grupo de historiadores reunido por Friedrich von Hayek demonstrou cabalmente esta deturpação. Suas conclusões foram publicadas no livro Capitalism and the Historians: uma defesa do sistema primitivo de fabricação e suas conseqüências econômicas e sociais. Reinterpretações históricas, como O 18 Brumário de Luís Bonaparte demonstram cabalmente suas intenções. Nesta obra Marx não somente faz uma interpretação dos acontecimentos de 1848 na França à luz de suas idéias como, retroativa e ironicamente, distorce o ocorrido nesta data em 1799 quando o tio de Luís, Napoleão, deu o golpe no Diretório e tornou-se Imperador. Data desta obra a reinterpretação da falácia hegeliana de que a História se repete: Hegel demonstrou que todos os fatos e personagens de grande importância na história do mundo ocorrem, por assim dizer, duas vezes. E esqueceu-se de acrescentar: a primeira vez como tragédia, a segunda como farsa (Marx, 18 Brumário). Seria Marx a representação farsesca de Hegel?

O grande arquiteto da desinformação sistemática foi Felix Edmundovitch Dzerzhinsky, criador da primeira polícia secreta soviética, a Tcheka. Quando Lênin perguntou, ainda em 1918 a Dzerzhinsky, sobre qual a estratégia que deveria ser adotada para influenciar o resto do mundo, recebeu como resposta: "diga sempre o que eles querem ouvir, minta, minta sempre e cada vez mais. De tanto repetir as mentiras elas acabam sendo tomadas como verdades". A primeira fraude fotográfica impor-imite de que tenho notícia foi a supressão da imagem de Trotsky ao lado da tribuna de onde Lênin discursava para as tropas na Praça Svierdlov em 1920, obra do sucessor de Dzerzhinsky, Lavrenty Pavlovich Bieria sob as ordens de Stalin.

Esta expressão, levemente modificada, foi copiada por Paul Joseph Goebbels, Ministro da Propaganda e do Esclarecimento do Povo do III Reich a quem foi atribuída, erroneamente e provavelmente de má-fé, a autoria."


Este livro é essencial, indispensável para os que investigam esta conspiração.  Outro é:


A VERDADE É UMA AMEAÇA - MENTIRA E CENSURA"O cidadão, no sistema comunista, vive oprimido (...) Em última análise, todos os jornais são oficiais, bem como o rádio e outros meios de comunicação. Os resultados de tudo isso não são grandes, e em nenhum caso correspondem aos meios e medidas empregados. Porém, resultados consideráveis são conseguidos tornando IMPOSSÍVEL A MANIFESTAÇÃO DE OPINIÕES que não sejam as oficiais e combatendo as idéias contrárias. " (Milovan Djilas – “A Nova Classe”)

Será necessário recordar o que dizia ALEXANDER SOLJENITSIN: bastaria que os russos deixassem de mentir e o comunismo afundaria. (Vladimir Volkoff)
http://conspiratio3.blogspot.com.br/2017/02/dizer-verdade-e-arma-contra-o-comunismo.html

"Quanta razão tinha o grande escritor russo Alexander Soljenitzin, Nobel de literatura e autor do Arquipélago Gulag: "O pior do comunismo não é a opressão, mas a mentira"!
http://www.midiasemmascara.org/artigos/desinformacao/16631-2016-07-25-06-23-49.html   

 



COMUNISMO SE VENCE PELA VERDADE

 "A mentalidade revolucionária, com suas promessas auto-adiáveis, tão prontas a se transformar nas suas contrárias com a cara mais inocente do mundo, é o maior flagelo que já se abateu sobre a humanidade. Suas vítimas, de 1789 até hoje, não estão abaixo de trezentos milhões de pessoas – mais que todas as epidemias, catástrofes naturais e guerras entre nações mataram desde o início dos tempos. A essência do seu discurso, como creio já ter demonstrado, é a inversão do sentido do tempo: inventar um futuro e reinterpretar à luz dele, como se fosse premissa certa e arquiprovada, o presente e o passado. Inverter o processo normal do conhecimento, passando a entender o conhecido pelo desconhecido, o certo pelo duvidoso, o categórico pelo hipotético. É a falsificação estrutural, sistemática, obsediante, hipnótica. O prof. Duguin propõe o Império Eurasiano e reconstrói toda a história do mundo como se fosse a longa preparação para o advento dessa coisa linda. "  Olavo de Carvalho


Tem uma coisa que você pode fazer AGORA: tente ser verdadeiro consigo mesmo e honesto naquilo que faz. Se vc é professor, ensine, ao invés de doutrinar ou fazer experiências com as crianças; se vc é padre ou religioso, se vc é policial, militar, político, juiz, administrador, funcionário, pai, cidadão,  não se submeta à agenda corruptora socialista, feita para sabotar o país e desumanizar o mundo, ouça aquela vozinha entre tantas, aquela que não tem o rabo preso com nada e SABE a resposta. Pense no inferno que vc pode estar construindo. E acima de tudo, seja vc mesmo, siga sua consciência, pense com sua cabeça, sinta com seu coração, PERCEBA. É possível perceber, por exemplo, a contradição numa medida "politicamente correta", se não embarcamos hipnotizados na sua propaganda chantagista e traiçoeira. HÁ um sinal de alerta vermelho, aquele mal-estar no fundo da consciência, ouça-o. Além de se informar, atente para o que vc já sabe.

O comunismo não sobrevive à verdade, à liberdade de opinião e ao livre acesso à informação. A verdade mata o comunismo. Uma certa quantidade de verdade em circulação funciona como um anticorpo contra as mentiras inoculadas pelas grandes mídias e autoridades.

Com mentiras nos manipulam, seduzem e intimidam. É através de nós que eles operam, e, sem nós, se reduzirão a um eco no vazio. Se cada um fizer a sua parte, seremos milhões opondo resistência ao avanço dessa onda corruptora que está corroendo tudo o que tem algum significado: família, vida, consciência, direitos, liberdade, futuro. Cuide da casa em que você, seus filhos e netos viverão, não deixe mais um inferno comunista se instalar na face da Terra.

DIZER A VERDADE É ARMA ANTICOMUNISTA - RAPHAEL DE PAOLA
https://youtu.be/jJuhgAM50Ko

ALERTA AOS BRASILEIROS - MENSAGEM DE VENEZUELANA ANTES DE SE ENTREGAR AO DITADOR MADURO

  

Mais em:

A SOBERANIA DA CONSCIÊNCIA - A VOZ DA ALMA E A VOZ DO MUNDO

*
SE NÃO INVESTIRMOS EM CONSCIÊNCIA, O TOTALITARISMO SERÁ INEVITÁVEL?

*
DAVID ICKE - CONECTANDO OS PONTOS, RECUPERANDO A VISÃO DO TODO, INTEGRANDO A SI MESMO
*
O POLITICAMENTE CORRETO É UM VIRUS  
*
SOCIALISMO É CONCENTRAÇÃO DE PODER - OLAVO DE CARVALHO http://youtu.be/g5yYml8C6nA  
*
Achei bem interessante o depoimento pessoal deste canal VindexAngelus, que está no processo de se libertar da ideologia. Parece uma doença que demora para desaparecer, tal é a intensidade da lavagem cerebral. Pelo jeito, eles utilizam muita emoção e controle pela culpa: 

Eu me afasto de qualquer um que faça isso comigo. Eu me afasto de qualquer coisa que me separe de mim mesma. Deus está no íntimo.

*
13/11 - Carta de ex-comunista

"Para terminar, um pouco só de teoria histórica. Hanna Arendt - que já não deve ser lida, sequer conhecida dos modernos "historiadores" - fez uma diferenciação entre regimes autoritários e totalitários que  as esquerdas execram, pois põe a nú suas mentiras. Os primeiros são regimes como o de 64 em que alguns são perseguidos mas não se impões o pensamento único. Tanto que a esquerda venceu no terreno "intelectual" (sic). Os outros, são aqueles em que se impõe o pensamento único do qual não pode haver a mínima discordância senão, paredón! Nos primeiros a imprensa é censurada, o que ocorreu aqui, nos segundos a imprensa é totalmente destruída só sobrando o órgão do Partido condutor das massas - seja o Pravda, o Granma, o Vöelkischer Beobachter ou o Popolo d'Italia."

 

DISSIDENTES:

A. SOLJENITSIN
livro: ARQUIPÉLAGO GULAG (e outros)
*
ANATOLIY GOLITSYN
O ENGODO DA PERESTROIKA - ANATOLIY GOLITSYN E PROFECIAS DE FÁTIMA
*
YURI BEZMENOV
*
Ion Mihai Pacepa
livro: Da Rússia, com terror
*
LEONID PLIUCHTCH - livro "OS DISSIDENTES SOVIÉTICOS"
*
Fuga do Campo 14 - a Dramatica Jornada de um Prisioneiro da Coreia

http://www.estantevirtual.com.br/q/Fuga-do-Campo-14
 
CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO DA CORÉIA DO NORTE - Fuga do Campo 14 - A odisséia de Shin Dong-Hyuk
http://conspiratio3.blogspot.com.br/2013/10/campos-de-concentracao-da-coreia-do.html
*
 
BORIS PASTERNAK -
*
NATAN SHARANSKY
livro: NÃO TEMEREI O MAL
*
VICTOR KRAVCHENKO
livro: ESCOLHI A LIBERDADE
*
VLADIMIR KONSTANTINOVICH BUKOVSKY
*
ALEXANDER LITVINENKO
livros - "MORTE DE UM DISSIDENTE" e "EXPLOSÃO DA RÚSSIA"
*
ANDREI SINIAVSKY
*
YURI DANIEL
*
PRISÃO NO GULAG E FUGA : CAMINHO DA LIBERDADE - filme e livro de Slavomir Rawicz
http://conspiratio3.blogspot.com.br/2013/10/prisao-no-gulag-e-fuga-caminho-da.html
*
Reinaldo Arenas - livro "Antes que Anoiteça"
*

A FALSA DISSIDÉNCIA

YOANI SANCHEZ 


As impessoas e la bloguera cariñosa

Se quiserem saber quem são os verdadeiros heróis cubanos, as impessoas, aqueles que a mídia se recusa a saber que existem, acessem Rostros de Héroes Cubanos o livro com o mesmo nome (414 pp) pode ser baixado aqui.
 


 
ANDREII SAKHAROV -  
No mesmo livro (PP 168-173) mostro como o KGB fabricou um dissidente muito mais importante que uma menina boba como Yoani: Andreiï Sakharov, o 'Pai da Bomba H soviética'. O estrago causado por ele na intelectualidade ocidental foi devastador!
*
*
LIVROS SOBRE OS TOTALITARISMOS SOCIALISTAS
*
Os protestos no Brasil, os revolucionários e o que fazer para nos prevenirmos
5) Bons livros sobre a história dos regimes comunistas, escritos desde um ponto de vista não-apologético.
(6) Livros dos críticos mais célebres do marxismo, como Eugen von Böhm-Bawerk, Ludwig von Mises, Raymond Aron, Roger Scruton, Nicolai Berdiaev e tantos outros.
(7) Livros sobre estratégia e tática da tomada do poder pelos comunistas, sobre a atividade subterrânea do movimento comunista no Ocidente e principalmente sobre as "medidas ativas" (desinformação, agentes de influência), como os de Anatolyi Golitsyn, Christopher Andrew, John Earl Haynes, Ladislaw Bittman, Diana West.
(8) Depoimentos, no maior número possível, de ex-agentes ou militantes comunistas que contam a sua experiência a serviço do movimento ou de governos comunistas, como Arthur Koestler, Ian Valtin, Ion Mihai Pacepa, Whittaker Chambers, David Horowitz.
(9) Depoimentos de alto valor sobre a condição humana nas sociedades socialistas, como os de Guillermo Cabrera Infante, Vladimir Bukovski, Nadiejda Mandelstam, Alexander Soljenítsin, Richard Wurmbrand.
Além desses, recomendo os seguintes livros que considero úteis para compreender o assunto, alguns dos quais já indicados pelo próprio Olavo nos textos e aulas:
Utopia, The Perennial Heresy, de Thomas Molnar.
Political Messianism, de J. L. Talmon.
O ópio dos intelectuais, de Raymond Aron.
The Politics of Imperfection, de Anthony Quinton.

*

SUSSURROS - A VIDA PRIVADA NA RUSSIA DE STALIN

A TRAGÉDIA DE UM POVO

MIKHAIL VOSLENSKY
Mikhail Sergeievitch Voslensky 
livro -  NOMENKLATURA: Como vivem as classes privilegiadas na União Soviética, 1980.

 MILOVAN DILAS (ou DJILAS)
livro: "A NOVA CLASSE" e outros

ORVIL - TENTATIVAS DE TOMADA DE PODER
a história do terrorismo no Brasil
*
O Verdadeiro Che Guevara - e os idiotas úteis que o idolatram      
*
 Jean-François Revel 
A GRANDE PARADA
J. Edgar Hoover (1º Diretor do Federal Bureau of Investigation )
"MESTRES DO EMBUSTE" e "ESTUDO SOBRE O COMUNISMO"
*
O LIVRO NEGRO DO COMUNISMO
*
HISTÓRIA CONCISA DA REVOLUÇÃO RUSSA
Richard Pipes
*
 DESENHOS DO GULAG




MAIS SOBRE LIVROS:

*
 ANATOLLI POVIST LIET

 
SITES PARA PESQUISA



 
ARTIGOS

As raízes históricas do Eixo do Mal Latino-Americano - Parte I
*
1933-1945: Os (verdadeiros) anos de chumbo

As três soluções

Escrito por Martim Vasques da Cunha

(...)
Por isso, nesta situação sufocante, as pessoas me perguntam:

- Mas qual é a solução, Martim, qual é a solução?

Confesso que não sei. Minha função não é dar solução para ninguém - nem mesmo eu tenho isso para a minha própria pessoa. Mas, recentemente, li um livro que foi lançado em Dezembro, O Diário da Felicidade (É Realizações, trad. Elpídio Mario Dantas Fonseca), do filósofo romeno Nicolae Steinhardt. Logo na sua abertura, Steinhardt, que foi preso pela Securitate (a KGB romena), fala sobre as três soluções que dão certo para o homem que tenta se manter íntegro em qualquer ambiente de espírito totalitário (e, por qualquer ambiente, entenda-se cultural, espiritual, político, social, etc.):

- A primeira é inspirada em Alexander Solzhenitsyn, o autor de Arquipélago Gulag: a partir do momento em que você for preso, depois de ter atravessado o interrogatório de uma Gestapo, de uma KGB ou de uma Securitate, decida-se pela seguinte resolução - você é um homem morto. Se decidir isso, nada mais tem importância; podem torturá-lo, xingá-lo, incitar seus amigos e parentes à traição, nada disso lhe atingirá. Porque, afinal de contas, você morreu para o mundo.

- A segunda é inspirada em um romance chamado As alturas ocas, de Alexander Zinoviev, a partir de um personagem apelidado de O Rebelde. Consiste na decisão pela total inaptidão em relação ao sistema. Você se finge de louco - aliás, torna-se o próprio bobo da corte; assim, pode gritar aos quatro cantos sobre as mazelas da sociedade que ninguém o escutará porque, afinal de contas, sempre será considerado pelos outros como um pinel de marca maior.

- A terceira é inspirada em episódios das vidas de Winston Churchill e de Vladimir Bukowski. Churchill afirmava que, mesmo com o pressentimento de uma guerra terrível, sentia-se rejuvenescido como se tivesse vinte anos; Bukowski não podia esperar pelo momento de ser chamado pela KGB e enfim ser interrogado porque queria entrar na sala "como um tanque de guerra" e gritar a todos a verdade sobre a Rússia. Esta é a decisão do "retroceder nunca, render-se jamais"; a de que é melhor quebrar do que vergar; a do sujeito que encontra suas forças mesmo quando o combate parece estar completamente perdido.

Steinhardt afirma que essas três soluções dão certo em termos práticos e ninguém lhe disse o contrário. São atitudes essencialmente a-políticas, mas, se realizadas com uma certa retidão, podem provocar terremotos consideráveis na política de nosso país. Afinal de contas, o totalitarismo que reina no Brasil é o da estupidez humana. Logo, por que ter medo?


*

Da fantasia deprimente à realidade temível


(...)
Os comunistas começaram por destruir a inteligência superior de uma grande nação antes de criar o regime político mais estúpido e animalesco de que se tivera notícia na História. Quem, na época, quisesse prever o futuro da economia russa sob os comunistas poderia fazê-lo facilmente por meio da simples avaliação da literatura que eles produziam. Mesmo o mais talentoso ficcionista nas hostes revolucionárias, Maxim Gorki, estava formidavelmente abaixo da geração anterior. Hoje em dia já não se pode lê-lo senão como documento histórico. Nem é preciso dizer que o mesmo se aplica à literatura produzida sob os governos de Lênin, Stálin, Kruschev e tutti quanti. Até os melhores romances do período – os de Sholokhov – se tornaram ilegíveis por excesso de babaquice revolucionária. Nem falo dos filósofos e ensaístas, uma multidão subsidiada que o tempo de encarregou de jogar na lata de lixo. O pensamento russo só sobreviveu no exterior, integrado na cultura européia ou americana, com Berdiaev, Chestov, Sorokin. A imaginação literária só veio a se recuperar a partir anos 50, mas no subterrâneo, longe da cultura oficial, com Soljenítsin, Bukovski, Zinoviev. E não é preciso dizer que a inspiração para isso veio principalmente do antigo messianismo de Dostoiévski e Soloviev.

O que sucedeu na cultura literária e filosófica reproduziu-se, com exatidão milimétrica, na economia. Aqueles que se acostumaram a imaginar o tzarismo sob o aspecto estereotipado da “repressão”, do “atraso” e da “decadência” ignoram solenemente os fatos principais do período: a progressiva abertura da burocracia para elementos vindos de fora da camada aristocrática (inclusive judeus) e a industrialização acelerada. Nos cinqüenta anos que antecederam a revolução comunista, a economia russa foi a que mais cresceu na Europa, deixando longe a Inglaterra e a Alemanha que então pareciam ser as encarnações mesmas do progresso e das luzes, e só encontrando rival do outro lado do oceano, nos Estados Unidos da América. Se o regime tzarista não tivesse sido destruído pela I Guerra Mundial e pela subseqüente ascensão dos comunistas, o simples crescimento vegetativo da economia teria acabado por dar aos russos, por volta de 1940, um padrão de vida comparável ao dos americanos. Em contraste com isso, na União Soviética dos anos 80 o cidadão médio consumia menos carne do que um súdito pobre do tzar um século antes e tinha menos acesso a automóveis, assistência médica e serviços públicos em geral do que os negros sul-africanos vivendo sob o regime humilhante do apartheid. Nada está na realidade política de um país que não esteja primeiro na sua literatura.

O exemplo russo é só um entre muitos. O utopismo abstrato da Revolução Francesa, que num choque de realidade acabou levando a resultados tão paradoxais quanto o terror, a ditadura napoleônica e a restauração monárquica, foi antecedido de pelo menos meio século de linguagem abstratista, forçada, artificial e artificiosa, que sufocava a experiência direta sob toneladas de construções idealísticas sem pé nem cabeça. O processo foi descrito e analisado com muita acuidade por Hyppolite Taine em Les Origines de la France Contemporaine (6 vols, 1888-1894), uma das obras históricas mais notáveis de todos os tempos. Na Alemanha e na Áustria, a longa degradação da linguagem pública, contra a qual em vão reagiram Karl Kraus e Stefan George, é hoje reconhecida como um dos fatores que tornaram possível a ascensão do irracionalismo nazista. De modo geral, a explosão de cacofonias na literatura modernista anunciou e preparou o caminho para a invasão dos totalitarismos: já n& atilde;o há como negar isso depois desse tour de force historiográfico que é Rites of Spring. The Great War and the Birth of the Modern Age, de Modris Eksteins (Boston, Houghton Mifflin, 1989). Não, Hofmannsthal não deu um palpite a esmo: se nada está na política que não esteja antes na literatura, é pela simples razão de que a imaginação vem antes da ação. Se há uma “lei histórica” que funcione, é essa. Digo-o entre aspas porque não é uma lei histórica, é um dado estrutural da ação humana que nenhuma mutação histórica pode alterar.

Sobre o mesmo tema:
O QUE É SOCIALISMO? O SOCIALISMO REAL, CRIMES E ARGUMENTAÇÕES DESONESTAS - OLAVO DE CARVALHO



*

CITAÇÕES ELUCIDATIVAS - OLAVO DE CARVALHO
Como todos os maiores jornais, revistas, canais de TV e universidades deste país acham uma questão de honra não só tratar os comunistas como pessoas de bem, mas insistem sempre em contratar algumas dúzias deles, pagando-lhes altos salários para que adornem o comunismo e sua história com as cores das mais altas virtudes morais e teologais, julguei oportuno reproduzir aqui algumas declarações típicas do pensamento comunista, para que os leitores que ainda o ignoram saibam, afinal, do que se trata:
“Precisamos odiar. O ódio é a base do comunismo. As crianças devem ser ensinadas a odiar seus pais se eles não são comunistas.” (V. I. Lênin) 
“Somos favoráveis ao terror organizado – isto deve ser admitido francamente.” (V. I. Lênin)
“O comunismo não é amor. É o martelo com que esmagamos nossos inimigos.” (Mao Dzedong)
“O ódio intransigente ao inimigo, que impulsiona o revolucionário para além das limitações naturais do ser humano e o converte em uma efetiva, seletiva e fria máquina de matar: nossos soldados têm de ser assim.” (Che Guevara)

"Até agora os camponeses não foram mobilizados, mas, através do terrorismo e da intimidação, nós os conquistaremos." (Che Guevara)

“Aos slogans sentimentalistas da fraternidade, opomos aquele ódio aos russos, que é a principal paixão revolucionária dos alemães. Só conseguiremos garantir a Revolução mediante a mais firme campanha de terror contra os povos eslavos.” (Friedrich Engels)

“A principal missão dos outros povos (exceto os alemães, os húngaros e os poloneses) é perecer no Holocausto revolucionário... Esse lixo étnico continuará sendo, até o seu completo extermínio ou desnacionalização, o mais fanático portador da contra-revolução.” (Karl Marx)
*
Diante dos feitos dessas criaturas, nem todos os observadores tiraram conclusões simpáticas como aquelas que são diariamente repassadas ao nosso público como verdades de Evangelho pelo establishment jornalístico e educacional. Vejam aqui alguns exemplos:
“Se o que há de lixo moral e mental em todos os cérebros pudesse ser varrido e reunido, e com ele se formar uma figura gigantesca, tal seria a figura do comunismo, inimigo supremo da liberdade e da humanidade.” (Fernando Pessoa)
“Um comunista é como um crocodilo: quando ele abre a boca, você não sabe se ele está sorrindo ou preparando-se para devorar você.” (Winston S. Churchill)
“Ninguém pode ser comunista e preservar um pingo de integridade pessoal.” (Milovan Djilas)
“Comunismo é barbárie.” (James Russell Lowell)
*
“Eles (os comunistas) não precisavam refutar argumentos adversos: preferiam métodos que terminavam antes em morte do que em persuasão, que espalhavam antes o terror do que a convicção.” (Hannah Arendt)
*
“A política gnóstica (nazismo e comunismo) é autodestrutiva na medida em que seu desrespeito pela estrutura da realidade leva à guerra contínua: o sistema de guerras em cadeia só pode terminar de duas maneiras: ou resultará em horríveis destruições físicas e concomitantes mudanças revolucionárias da ordem social, ou, com a natural sucessão de gerações, levará ao abandono do sonho gnóstico antes que o pior tenha acontecido.” (Eric Voegelin)
*
“No meu estudo das sociedades comunistas, cheguei à conclusão de que o propósito da propaganda comunista não era persuadir, nem convencer, nem informar,  mas humilhar e, para isso, quanto menos ela correspondesse à realidade, melhor. Quanto as pessoas são forçadas a ficar em silêncio enquanto ouvem as mais óbvias mentiras, ou, pior ainda, quando elas próprias são forçadas a repetir as mentiras, elas perdem de uma vez para sempre todo o seu senso de probidade... Uma sociedade de mentirosos castrados é fácil de controlar.” (Theodore Dalrymple)
        

"O bolchevismo não é meramente uma doutrina política, é também uma religião, com dogmas elaborados e escrituras inspiradas. Quando Lênin deseja provar uma suposição, ele o faz citando, sempre que possível, textos de Marx e Engels. Um comunista completamente amadurecido não é apenas um homem que acredita que a terra e o capital devem pertencer a todos, e seus produtos distribuídos tão equitativamente quanto possível. É também um homem que mantém certo número de crenças dogmáticas, tal como o materialismo filosófico, por exemplo, que podem ser verdadeiras, mas não podem ser conhecidas com certeza por um espírito científico. Esse hábito, de ter certeza partidária sobre assuntos passíveis de dúvidas é um dos que, desde a Renascença, têm surgido gradualmente no mundo, afogando aquela tendência ao ceticismo construtivo e proveitoso que constitui a atitude científica." (Bertrand Russell)

 
 

3 comentários:

  1. Parabéns pela página. Cheia de conteúdo com simplesmente a verdade.

    Infelizmente, muitos vão negar que tudo que está escrito aqui seja verdade porque confiaram em professores que adotaram livros mentirosos.

    Eles vão ter certeza que o que está aqui está tudo errado e que os autores são burros que não estudaram. Não se trata de burrice ou inteligência, é que as pessoas são enganadas. A essência da escola socialista é enganar na base da mentira.

    Eu acho muito importante antes mesmo de defender alguma proposta política, social ou econômica. Deixarmos claro tudo aquilo que é inaceitável. Ou seja, vamos trazer todas as pessoas ao consenso de que o comunismo ou suas versões mais modernas de socialismo fascista estão fora da mesa de negociação. Não negociamos com terroristas.

    Os socialistas querem se colocar de igual pra igual com os demais. Sem considerar que até teve uma época que partido socialista era considerado grupo terrorista e formação de quadrilha. São pessoas que se juntaram para praticar crimes, e acham que podem só porque querem fazer dentro do "devido processo legal".

    Não cabe sentar na mesa com bandido, assassino, ladrão, escravista, com o demônio para negociar a introdução na legislação de qualquer tipo de roubro, escravidão e agressão. A essência do socialismo é corrupta e antihumana.

    O poder emana do povo, e se o povo chega ao consenso de que as pessoas do povo não podem matar, roubar e destruir. Então, as pessoas do povo também não poderia passar uma procuração para o governo matar, roubar e destruir. Uma procuração de algo que você não tem é nula. Este poder exercido na prática pelos socialistas é ilegítimo.

    Que Deus nos ajude.

    ResponderExcluir
  2. Sim, concordo plenamente. Mas acho que podemos fazer alguma coisa. Se cada um fizer sua parte honestamente, seremos um exército de milhões exercendo resistencia á agenda corruptora socialista e mesmo globalista (NOM), já que grande parte da estratégia deles tem base na mentira sistemática.

    ResponderExcluir