CENSURA, DITADURA, POLITICAMENTE CORRETO

Seguidores

sábado, 6 de abril de 2013

OS JESUITAS E O MOVIMENTO REVOLUCIONÁRIO - MALACHI MARTIN - NIVALDO CORDEIRO


http://www.youtube.com/watch?v=pX84kmddWy0 

Nivaldo Cordeiro fala sobre o livro: Os Jesuítas Malachi Martin
http://www.youtube.com/watch?v=hY9kR2ZxKDg




OS JESUÍTAS
A Sociedade de Jesus e a Traição da Igreja Católica Romana
MALACHI MARTIN
(Nem precisa dizer que os 3 livros desse autor, em português, sumiram)

Autor do vídeo: Nivaldo Cordeiro
http://www.youtube.com/user/nivaldocordeiro

Os diálogos entre Naphta e Setembrini 
http://youtu.be/Hsw6yQ-TPTQ
Publicado em 16/04/2013        
No livro A Montanha Mágica Thomas Mann colocou dois personagens como emblemas da modernidade: Naphta e Setembrini. O primeiro sacerdote jesuíta, o segundo membro da loja maçônica carbonária. Os irmãos siameses da modernidade.

TEOLOGIA DA LIBERTAÇÃO E MARXIZAÇÃO DA IGREJA
http://conspiratio3.blogspot.com.br/2013/07/teologia-da-libertacao-e-marxizacao-da.html


Resenha do livro "Windswept House" de Malachi Martin
http://www.montfort.org.br/old/index.php?secao=cadernos&subsecao=religiao&artigo=casa_varrida_ventos&lang=bra

A VERDADE SOBRE O TERCEIRO SEGREDO FÁTIMA - Pe. MALACHI MARTIN
http://www.youtube.com/watch?v=HRPjLglTyDY
Neste ponto, corroborado por outro lado pela discutida, mas reveladora declaração do Papa Bento durante o vôo para Fátima em 12 de Maio passado, considero que tenha chegado o momento de falar também de um outro livro do Padre Malachi Martin. Trata-se do romance (de 1996) intitulado Windswept house (A Casa Varrida pelos Ventos). É inútil procurar esse livro em italiano, não o encontrareis! De fato, esse livro jamais foi traduzido, e provavelmente isso não aconteceu por acaso.
Esse volume me deixou muito curioso por causa de algumas citações encontradas na internet, assim há alguns meses encomendei uma cópia. O romance é vivido no Vaticano durante os anos noventa, e fala de modo bastante explícito de acontecimentos ligados ao pontificado de João Paulo II. Porém, o mais interessante é uma de suas três breves premissas históricas ocorridas do ano de 1963. Segundo o romance, em 29 de Junho de 1963, no Vaticano, e para ser mais preciso, na Capela Paulina foi celebrado um ritual satânico do qual participaram altos prelados, Bispos, simples sacerdotes e leigos. Segundo Malachi Martin tratava-se de realizar uma profecia do satanismo moderno que anunciava o advento da era de Satanás no momento em que um Papa tivesse assumido o nome de Paulo. O último Papa Paulo foi Camillo Borghese, morto em 1621. Em 21 de Junho de 1963 foi eleito Papa o Cardeal Montini, que assumiu o nome de Paulo VI. Malachi Martin conta, pois, que na noite entre 28 e 29 de Junho de 1963, uma semana após a eleição de Paulo VI, foi organizado esse ritual satânico no Vaticano, com a finalidade de entronizar Satanás no coração da Cristandade.
Os satanistas, porém, não podiam organizar um ritual completo: como teriam podido levar a vítima e o animal sacrifical ao Palácio Apostólico? Decidiram, pois, combinar dois ritos a serem celebrados ao mesmo tempo. Um, incruento, no Vaticano, na Capela Paulina, e um outro, cruento, a ser celebrado nos USA. Os ritos aconteceriam simultaneamente, e seriam sincronizados através de telefone. Quem oficiou no Vaticano? Martin não o diz. Fala apenas de Prelados, sacerdotes e leigos. Quanto ao rito paralelo, ele é mais claro e conta que aconteceu numa Igreja paroquial da Carolina do Sul, e quem o celebrou foi um tal "Bispo Leo". Um tal nome não deve ser casual. E, de fato, somente na diocese da Carolina do Sul encontramos, em 1964, o Bispo Ernst Leo Unterkoefler. Este, em 1963, já era Bispo titular de Latópolis, e participava ativamente do Concílio Vaticano II. (...) O ritual será feito na Carolina do Sul através da violência sexual de uma menina, primeiro narcotizada e depois abusada. Na Capela Paulina, por sua vez, foi celebrado o ritual principal incruento, concluído pela leitura de uma espécie de "consagração" do Vaticano a Satanás.
*
LÚCIFER E A REVOLUÇÃO DA NOVA ORDEM MUNDIAL
http://conspiratio3.blogspot.com.br/2013/02/lucifer-e-revolucao-da-nova-ordem.html
*
http://www.youtube.com/user/MalachiMartinAudio
*
PAPA FRANCISCO, UM COMUNISTA NO COMANDO DA IGREJA?
http://conspiratio3.blogspot.com.br/2013/08/papa-fracisco-um-comunista.html
*
Padre Malachi Martin e o Terceiro Segredo de Fátima
http://www.montfort.org.br/old/index.php?secao=veritas&subsecao=papa&artigo=malachi-fatima-segredo&lang=bra
*
A organização da ordem dos Illuminati se inspirou na dos jesuítas, com a qual Weishaupt se familiarizou na juventude. Sempre vi o nome dos jesuítas envolvido em grandes conspirações, mas sempre havia a atenuante de que eles tinham grandes inimigos, como os maçons, que teriam tecido aquelas calúnias contra eles. Agora há este dado a mais:
Em junho de 1963, Paulo VI foi coroado e começou a exibir o sinistro crucifixo vergado. A Maçonaria Iluminista tinha se aliado com a Sociedade dos Jesuítas.
http://www.espada.eti.br/n1623.asp
*
AGENDAS GLOBALISTAS
http://conspiratio3.blogspot.com.br/2013/01/agendas-globalistas-serem-estudadas.html
*
MONITA SECRETA
http://pt.wikipedia.org/wiki/Monita_Secreta

*
MARX E SATÃ - APRISIONAR A CONSCIÊNCIA NO MUNDO MATERIAL SERIA A META DO MARXISMO ?
http://conspiratio3.blogspot.com.br/2013/06/marx-e-sata-aprisionar-consciencia-ao.html
*
JESUITAS DA DEPRESSÃO
http://youtu.be/OIbxUpBJOqg

Jesuitas da Depressão II
http://youtu.be/YA_2KZweh7s

http://youtu.be/9byhxLZPQgA 

Será Ion Mihai Pacepa um agente triplo? Isso é desinformatzya!Será Ion Mihai Pacepa um agente triplo? Isso é desinformatzya!
http://grogdocarlosreis.blogspot.com.br/2013/10/sera-ion-mihai-pacepa-um-agente-triplo.html
*
OS CONFESSORES DE MARX:A COMPANHIA DE JESUS E O MARXISMO (1937-1982
http://www.revistas.usp.br/revhistoria/article/viewFile/19162/21225
*
OS JESUÍTAS - MALACHI MARTIN
http://pt.slideshare.net/EboBlack/os-jesuitas-a-companhia-de-jesus-e-a-traio-igreja-catlica-malachi-martin

Uma das instituições na América Latina que se dedicou a apologia da Teologia da Libertação é a "Unisinos", instituição de ensino superior jesuíta do Rio Grande do Sul, que no final de 2011 promoveu o "Congresso Continental de Teologia"18 , que reuniu muitas antigos proponentes da teologia da libertação, para fundir seus princípios com os documentos do Concílio Vaticano II, que completou 50 anos em 2011. Essa visão entra em choque com a interpretação que a Santa Sé e os Papas, responsáveis pelas próprias publicações dos documentos conciliares, e de sua interpretação desde então, esta foi reconfirmada no Sínodo em Roma no mesmo ano.
https://pt.wikipedia.org/wiki/Teologia_da_Liberta%C3%A7%C3%A3o#cite_note-1
*
Qual o principal erro da Teologia da Libertação?
http://www.midiasemmascara.org/artigos/religiao/10661-qual-o-principal-erro-da-tl.html


*
 Segundo uma testemunha do Congresso dos EUA (U.S. Senate, Congressional Record, outubro de 1919) o apoio financeiro de John D. Rockefeller a Lênin e Trotski provocou a fracassada Revolução Comunista de 1905. Essa afirmação foi feita em público pelo banqueiro investidor da família Rockefeller e presidente da empresa de investimentos de Nova York, Kuhn, Loeb & CO., o jesuíta Jacob Schiff, também fundador do Federal Reserve, sem cuja influência a Revolução Bolchevique nunca teria tido êxito. Na primavera de 1917, Jacob Schiff começou a financiar Trotski com o propósito de que a Revolução Socialista na Rússia prosperasse. O surpreendente é que esses documentos foram encontrados em mais de um expediente do Departamento de Estado dos EUA (861.00/5339). O documento mais importante data de 13 de novembro de 1918. Um outro documento demonstra que esse mesmo Jacob Schiff, da Kuhn, Loeb & CO. também havia financiado secretamente os japoneses em sua guerra contra a Rússia.
http://www.midiasemmascara.org/arquivos/5471-a-comissao-trilateral.html
*
CURSOS
http://padrepauloricardo.org/cursos/revolucao-e-marxismo-cultural
http://padrepauloricardo.org/cursos/teodiceia-uma-resposta-ao-mal

*
 




Uma idéia que anda me rondando ultimamente é a da ligação estreita que deve haver entre o Iluminismo, os Illuminati e o movimento revolucionário. O Illuminismo, de certa forma permitiu ao homem a arrogãncia de "desconstruir" e "construir" o universo à sua imagem e semelhança através da "razão", como se ela, a "razão", pudesse dar conta de tudo, e como se isso não mutilasse todos os seres e a Realidade. Depois que se mata uma parte de si, fica fácil matar tudo mais.




Malachi Martin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre
Ir para: navegação , pesquisa
 

Malachi Brendan Martin



Malachi Brendan Martin (23 julho de 1921 - 27 de julho de 1999) foi um padre católico irlandês e escritor sobre a Igreja Católica. Originalmente ordenado padre jesuíta, ele se tornou professor de Paleontologia no Pontifício Instituto Bíblico do Vaticano, e de 1958 Martin também atuou como consultor teológico do Cardeal Augustin Bea durante os preparativos para o Concílio Vaticano II . [1] Desiludido por reformas que ele foi lançado de certeza da sua jesuíta votos em 1964 e mudou-se para Nova York. Seus 17 romances e livros de não-ficção foram freqüentemente crítico da Igreja Católica, a qual ele acreditava que havia falhado em agir sobre a terceira profecia supostamente revelada pela Virgem Maria em Fátima . [2] Entre suas obras mais significativas foram The Character escriba do Manuscritos do Mar Morto (1958) e Refém do Demônio (1976), que tratou com o satanismo, possessão demoníaca e exorcismo. [1] O Conclave final (1978) foi um alerta contra supostos espiões soviéticos no Vaticano.

Conteúdo

História

Início da vida e da educação


Trinity College, Dublin
Martin nasceu prematuramente na aldeia de Ballylongford , Condado de Kerry , na Irlanda para uma família de classe média [3] em que as crianças foram levantadas falando gaélico na mesa de jantar, de crença e prática católica eram centro-seus três irmãos também se tornaram sacerdotes, dois deles acadêmicos. [4] Ele recebeu o ensino secundário no Colégio Belvedere , em Dublin , e tornou-se um jesuíta noviço em 6 de setembro de 1939, com a idade de dezoito anos. Devido à Segunda Guerra Mundial e os riscos inerentes envolvidos com a viagem durante este tempo, Martin permaneceu na Irlanda e estudou na Universidade Nacional da Irlanda , onde recebeu um diploma de bacharel em línguas semíticas e estudos orientais durante a realização de estudo simultâneo em Assyriology em Trindade College, Dublin . [4]
Após a conclusão da sua licenciatura em Dublin, Martin foi enviado para a Universidade Católica de Louvain , na Bélgica para continuar a sua educação. Durante a sua estada de quatro anos em Leuven , ele completou mestrado graus em filosofia e teologia , e três doutorados (em línguas semíticas, arqueologia e história oriental). Em 15 de agosto de 1954, a Festa da Assunção , Martin foi ordenado padre jesuíta, com a idade de trinta e três anos. [4]
Martin começou a pós-graduação, tanto a Universidade Hebraica de Jerusalém e na Universidade de Oxford , especializada em estudos intertestamentary e conhecimento de Jesus Cristo e do hebraico e árabe manuscritos. Ele realizou um estudo adicional em racional psicologia , psicologia experimental , física e antropologia . [5]

Trabalho e ordenação

Martin participou na investigação do Pergaminhos do Mar Morto e publicado vinte e quatro artigos sobre paleografia semita em vários jornais. [6] [7] Ele fez uma pesquisa arqueológica e trabalhou extensivamente sobre o silabário Byblos em Byblos , [8] em Tyre , [ 9] , tanto no Líbano e na Península do Sinai . Martin assistida em seu primeiro exorcismo durante a sua estada no Egito para a pesquisa arqueológica. Foi sobre um muçulmano. [4] Ele publicou um trabalho em dois volumes, o personagem de escriba de Manuscritos do Mar Morto, em 1958. [10]

Basílica de São Pedro, Cidade do Vaticano
Ele foi convocado a Roma para trabalhar na Santa Sé como um secretário particular para o Cardeal Augustin Bea SJ , de 1958 até 1964. Isso o colocou em contato com o Papa João XXIII . Seus anos em Roma coincidiu com o início do Concílio Vaticano II (1962-1965), os quais sessões ele participou [4] e que era para transformar a Igreja Católica de uma forma que o inicialmente-liberal Martin começou a encontrar angustiante. [3] Ele se tornou amigo de Mons. George Higgins e pe. John Courtney Murray SJ [3]
Enquanto em Roma, tornou-se professor no Instituto Bíblico Pontifício do Vaticano, onde ensinou em aramaico , paleografia, hebraico e Sagrada Escritura. [4] Ele também ensinou teologia, a tempo parcial, no Loyola University of Chicago 's John Felice Roma Centro . [3] Durante este período, os seus aposentos estavam no Vaticano, fora dos quartos papais de João XXIII. [4] Ele trabalhou para as Igrejas Ortodoxas e antiguidades divisão Igrejas Oriental do Secretariado para a Promoção da Unidade dos Cristãos, sob o Cardeal Bea , como um tradutor. Como resultado disto, Martin tornou-se bem familiarizado com líderes judeus proeminentes, como o rabino Abraham Heschel , durante 1961 e 1962. [11] Martin também acompanhou Paulo VI em sua peregrinação à Terra Santa , em janeiro de 1964. [12] Martin renunciou sua posição no Pontifício Instituto em junho de 1964. [3]
Desiludido com as reformas em curso entre os jesuítas, a maior ordem religiosa masculina da Igreja, [ carece de fontes? ] Martin pediu uma especial dispensação em fevereiro de 1965. [3] Ele recebeu a liberdade provisória maio 1965 [3] e uma versão definitiva do seu votos de pobreza e obediência em 30 de junho de 1965. [3] Depois de 25 anos como um religioso jesuíta, ele saiu de Roma, de repente, em julho. [13] Ele não foi liberado de seu voto de castidade e permaneceu um sacerdote ordenado, mas secular. Paulo VI deu-lhe uma comissão geral para o exercício de um apostolado nos meios de comunicação e de comunicação. [4]
Ele mudou-se permanentemente para Nova York em 1966, onde pela primeira vez teve que trabalhar como lavador de pratos, garçom e motorista de táxi [3] , antes que ele foi capaz de começar a fazer a sua vida escrevendo. [4] Ele co-fundou uma empresa de antiguidades e foi ativo na comunicação e mídia para o resto de sua vida. [5]
Depois de sua chegada a Nova York, o Cardeal Terence Cooke lhe deu permissão para exercer suas faculdades sacerdotais seculares escrito.

Comunicação e mídia


Central Park, Nova Iorque
Em 1964, Martin, sob o pseudônimo de Michael Serafian, escreveu The Pilgrim: o Papa Paulo VI, ao Conselho e à Igreja em um momento de decisão, uma apologia para os judeus, que, entre outras coisas, contou a história da questão judaica e o Concílio Vaticano II.
Em 1967, Martin recebeu sua primeira bolsa Guggenheim . [14] Em 1969, ele conseguiu seu primeiro avanço com o seu livro O Encontro: Religião em crise como resultado de sua experiência em judaísmo , cristianismo e islamismo e com a qual ele venceu a escolha Book Award da American Library Association . [15] Em seguida vieram outros livros livremente orientados como Três Papas e cardeais:. A Igreja de Pio XII, João e Paulo, em seu encontro com a História da Humanidade (1972) e Jesus Now (1973) [ carece de fontes? ] Martin tornou-se um cidadão americano em 1970.
Ele recebeu uma segunda bolsa Guggenheim em 1969, o que lhe permitiu escrever o seu primeiro de quatro best-sellers , [16] Refém do Demônio: A possessão e exorcismo de cinco americanos que vivem. Com este livro, publicado em 1975, Martin referências a sua experiência como um exorcista. [ carece de fontes? ] De acordo com o livro ajudou em vários exorcismos . Em 1996, ele falou de ter realizado milhares de pequenos exorcismos, e participou [4] em algumas centenas de grandes exorcismos durante a sua vida. [17]
Durante essa década, Martin também atuou como editor religioso para National Review [18] [19] [20] 1972-1978, quando foi sucedido por Michael Novak . Ele foi entrevistado duas vezes por William F. Buckley Jr . para Firing Line on PBS . [21] Ele também foi editor da Encyclopædia Britannica . [22] Seu agente literário era Lila Karpf . [23]
Martin publicou vários livros em rápida sucessão nos anos seguintes: o conclave final (1978), Rei dos Reis: Um romance da vida de David (1980) e Vaticano: A Novel (1986) eram de facções . romances The Decline and Fall of the Igreja Romana (1981), The New Castle: Alcance para a final (1982), Rich, Igreja pobre: ​​A Igreja Católica e seu Dinheiro (1984) e ainda há amor: Cinco Parábolas de amor de Deus que mudarão sua vida ( 1984) eram não-ficção obras.
Seu best-seller [16] 1987 livro de não-ficção Os Jesuítas: A Companhia de Jesus ea traição da Igreja Católica Romana foi muito crítico da sua ordem eclesiástica anterior. O livro acusou-os de minar sistematicamente os ensinamentos da Igreja e substituindo-os com as doutrinas comunistas. [24]
O psiquiatra M. Scott Peck , o autor de The Road Less Viajou e ao povo da mentira, desenvolveu uma amizade com Martin e foi fortemente influenciado por ele no desenvolvimento de suas teorias do mal e exorcismo . [25]
Belfast baseado Causeway Pictures (www.causewaypictures.com) estão produzindo um documentário baseado em suas obras e escritos, o projeto é intitulado "The Exorcist Papas" e está previsto para lançamento em 2013.

Mais tarde, a vida

Seu livro The Keys of This Blood : The Struggle for World Dominion entre o Papa João Paulo II, Mikhail Gorbachev, eo capitalista ocidental foi publicado em 1990 e foi seguido em 1996 por Windswept Casa : A Novel Vaticano. Martin trabalhou em estreita colaboração com o paranormal pesquisadores Dave Considine e John Zaffis em vários de seus casos independentes. [ carece de fontes? ]
Martin continuou a oferecer diariamente a missa em latim tradicional em particular, com determinação e exerceu seu ministério sacerdotal todo o caminho até à sua morte. Ele foi fortemente apoiada por alguns católicos tradicionais fontes e severamente criticado por outras fontes menos tradicionais, como o National Catholic Reporter . [26] [27] [28]
Martin atuou como comentarista convidado para CNN durante a cobertura ao vivo da visita pastoral de João Paulo II para os Estados Unidos 4-8 outubro de 1995.
Ele foi um dos convidados periódico sobre Art Bell 's programa de rádio, Coast to Coast AM , entre 1995 e 1998 e um convidado de Michael Corbin 's programa de rádio em Paranet Continuum rádio.
Nos últimos três anos de sua vida, Martin tinha forjado uma estreita amizade com o filósofo católico tradicional, o Padre. Rama Coomaraswamy . [29]
 
Nos últimos anos antes de sua morte, Martin foi recebido em audiência privada pelo Papa João Paulo II.  Depois, ele começou a trabalhar em um livro com o Primacy título de trabalho: Como o Institucional da Igreja Católica Romana tornou-se uma criatura do New Ordem Mundial. [13] Este livro que prometia ser a sua obra mais controversa e detalhado nunca nunca foi concluída. [ carece de fontes? ] Martin sofreu um pequeno derrame no verão de 1998.

Morte


O footstone de Malachi Martin em Porta do Céu Cemitério
Martin morreu de hemorragia cerebral, após uma queda em seu apartamento em Manhattan , Nova York, em 1999. [12] Seu velório aconteceu em Santo Antônio de Pádua romana Capela Católica de West Orange, Nova Jersey , antes do enterro dentro do Portão do cemitério do céu , em Hawthorne, New York .

Escritos

Martin produziu inúmeros best-sellers de ficção e não-ficção obras literárias, que se tornou amplamente lido em todo o mundo. Suas obras ficcionais deu contas privilegiadas detalhadas da história da Igreja durante os reinados dos papas Pio XII , João XXIII , Paulo VI (The Pilgrim, três papas ea Cardinal, do Vaticano: A Novel [16] ), João Paulo I (The Conclave final [ 16] ) e John Paul II (The Keys of This Blood, Windswept House).
Seus escritos não-ficcionais cobrir uma gama de temas católicos, como exorcismos demoníacos ( Refém do Diabo ), satanism , Teologia da Libertação , o Concílio Vaticano II (The Pilgrim), o Tridentina liturgia, dogma católico, o modernismo (Três Papas e os Cardinal; Os jesuítas), a história financeira da Igreja (Church Rich, Igreja pobre; The Decline and Fall da Igreja Romana), a Nova Ordem Mundial e da importância geopolítica do Papa (The Keys of This Blood).
Seus livros, tanto de ficção e não-ficção, com freqüência apresentam uma visão escura do estado atual do mundo, expondo espíritos das trevas, conspiração, traição, heresia, perversão sexual generalizada, auto-promoção, e possessão demoníaca, cada um sendo afirmado como rife em toda a Igreja Católica, a partir de seus níveis mais baixos até a sua mais alta.

Opiniões

Ele falou e escreveu muitas vezes sobre os três segredos de Fátima e foi um ardente defensor do padre. Nicholas Gruner : "Padre Gruner está cumprindo uma função extremamente necessária na percepção contínua do papel de Maria na salvação do nosso mundo em perigo o Padre Gruner é absolutamente. corrigir que a consagração da Rússia, como Nossa Senhora desejado, não foi executado ". [30]
Martin disse sobre os três segredos da Virgem Maria como Rainha do Céu em Fátima em 1917, ela determinou o papa de 1960 a consagrar a Rússia ao seu Imaculado Coração . A Igreja Ortodoxa Russa , então, converter de volta. Se o mandato não foram seguidos, guerra devastadora no mundo e destruição no interior da igreja ( A Grande Apostasia ) viria a seguir. Ele disse que ele estava fora dos aposentos papais em 1960, enquanto o papa João XXIII e cardeal Bea e outros estavam lendo o documento que contém o terceiro segredo, e que, a fim de assegurar a cooperação russa na aproximando Concílio Vaticano II , o Papa decidiu contra o mandato. Mais tarde, Paulo VI e João Paulo II também decidiu contra ela por várias razões. [4]
Ele era um opositor ferrenho das supostas aparições da Virgem Maria em Bayside nos Estados Unidos [12] e Medjugorje na ex- Iugoslávia . [31] Martin lamentou a escrever o prefácio de O Trovão da Justiça: O Aviso, o Milagre, o Castigo , a Era da Paz, um livro de 1993 por Ted e Maureen Flynn [32] defende, entre outras, as aparições em Medjugorje, afirmando que falsos pretextos foram utilizados na obtenção de sua recomendação. [33] Em relação às aparições de Garabandal , ele permaneceu aberto mente. [34]
Martin acreditava que as ordenações de vários sedevacantist bispos pelo ex-Arcebispo de Hue, Vietnã, Pierre Martin Ngo Đình Thuc , embora não permitidos, eram sacramentalmente válido . [35]
Em março de 1997, disse Martin em Aço da Rádio Liberdade em Aço, organizado pela John Loefller , que dois papas foram assassinados durante o século XX:
Martin também parcialmente deu credibilidade à tese Siri , dizendo que o Cardeal Giuseppe Siri foi duas vezes eleito papa em conclaves papais , mas se recusou a eleição depois de ser pressionado por forças mundanas por intermédio de cardeais presentes nos conclaves. Martin chamou isso de pouco brutalidade. Por um lado, Martin diz que Siri se intimidou: por outro lado, ele diz que Siri indicou que a sua decisão de não aceitar foi feito livremente. [35] [37]
  • A primeira ocasião, segundo ele, foi o conclave papal de 1963 . Martin menciona a possibilidade de uma ameaça nuclear que envolveu "a própria existência do Estado do Vaticano" durante esse conclave nas páginas 600-610 de seu livro The Keys of This Blood, que lida principalmente com Siri e 1963 conclave.
  • A segunda vez foi o conclave papal, outubro 1978 . Martin disse no programa de aço da Rádio Liberdade em Aço, organizado pela John Loefller em Março de 1997 que Siri recebeu uma nota escrita depois de sua primeira eleição ameaçando ele e sua família com a morte que ele deveria aceitar. [36]
Martin, que falava muitas línguas, esteve presente em ambos os conclaves como tradutor. [ carece de fontes? ]
Martin afirmou que os Papas João XXIII e Paulo VI eram maçons durante um determinado período e que as fotografias e outros documentos detalhados que comprovem esta estava em posse da Secretaria de Estado do Vaticano . [35] Ele também alegoricamente mencionado esses supostos fatos em seu romance 1986 Vaticano: A Novel, onde ele relatou a adesão maçônica de Papas Giovanni Angélica e Giovanni De Brescia. [15] Ele também disse que o arcebispo Annibale Bugnini CM era maçom e que Agostino Casaroli , de longa data Cardeal Secretário de Estado , era um ateu . [ 35]
Em seu livro Os jesuítas, publicado em 1987, Martin alega provar a existência de um acordo diplomático entre o Vaticano ea URSS chamado Acordo de Metz. O Vaticano teria prometido a não condenação do comunismo, em troca de participação de russo-ortodoxos prelados como observadores no Concílio Vaticano II.
Em seu livro O Conclave Final, publicado em 1 º de agosto de 1978, [38] o mês de de 1978 conclave que resultou na eleição de 28 de agosto de Albino Luciani , Malachi Martin escreveu sobre a inesperada eleição de um cardeal Angelico, um número que tem sido interpretada como correspondendo a Luciani. [39]
Martin afirmou que, junto com a possessão diabólica , a posse angelical também existe e que os anjos poderiam ter uso de sobrenaturais poderes em determinadas circunstâncias. [4] [17]
Martin estava convencido de que o anticristo descrito no livro do Apocalipse foi uma figura histórica literal, e estava vivo em 1996. [17]

*

O ópio dos intelectuais é um livro lançado em 1955 pelo francês Raymond Aron (1905-1983), dedicado ao marxismo.1 A edição brasileira foi publicada pela Editora Universidade de Brasília em 1980.
Aron procura em tal livro respostas ao por que o marxismo regressou "à moda" numa França, na qual a evolução económica supostamente tem desmentido as previsões marxistas, do porque as ideologias do proletariado e do partido marxista supostamente teriam mais sucesso quando a classe trabalhadora é menos numerosa e quais seriam as circunstâncias que comandariam, nos diferentes países, as maneiras de falar, de pensar e de agir dos intelectuais? [carece de fontes]
Para Aron, nenhuma outra doutrina criou no homem, como o marxismo, uma "ilusão da onipotência".2 Acreditava que o marxismo havia se tornado uma ideologia e, por isso, considerava-o "o ópio dos intelectuais".
Afirma no livro que "as sociedades ocidentais não têm o equivalente ao marxismo-leninismo, seja como base para o regime, seja como fundamento de uma síntese, ou pseudo-síntese, intelectual". Ideologia, segundo Aron, era "uma concepção mais ou menos sistemática da realidade política e histórica de mistura de fatos e valores".
Aron considerava o comunismo "uma versão aviltada da mensagem cristã". Segundo Aron, o comunismo "sacrifica o que foi e continua sendo a alma da aventura definitiva: a liberdade de pesquisa, a liberdade de controvérsia, a liberdade de crítica e de voto do cidadão. Submete o desenvolvimento da economia a um planejamento rigoroso e a edificação socialista a uma ortodoxia de Estado".3 Aron entendia que "o cristão nunca poderá ser um autêntico comunista, do mesmo modo que o comunista não pode crer em Deus, porque a religião secular, animada por um ateísmo fundamental, declara que o destino do homem cumpre-se todo inteiro nesta terra. O cristão progressista esconde de si mesmo essa incompatibilidade".

http://pt.wikipedia.org/wiki/O_%C3%93pio_dos_Intelectuais


Um comentário:

  1. COMPARTILHANDO

    LIVRO RARÍSSIMO:
    Os Jesuítas - A companhia de Jesus e a Traição à Igreja Católica - Malachi Martin

    Descrição:
    Como os jesuítas de hoje estão usando o poder espiritual conquistado através dos séculos para tentar influir nos rumos da política internacional.
    De aliados do Papa e seus intransigentes defensores, os jesuítas passaram de algum tempo para cá a ser os seus mais ativos opositores.
    Malachi Martin, teólogo eminente e antigo jesuíta, revela como os atuais dirigentes da Companhia de Jesus a transformaram na maior inimiga do capitalismo democrático do Mundo Ocidental.

    Opção 1:
    https://dl.dropboxusercontent.com/u/86476531/livros/Livro-Os_Jesuitas_e_a_traicao_a_igreja_catolica-Malachi_Martin.pdf 
    Opção 2:
    http://www.mediafire.com/view/59nlp2gxxs5hcut/Livro-Os_Jesuitas_e_a_traicao_a_igreja_catolica-Malachi_Martin.pdf 
    Opção 3:
    https://mega.co.nz/#!VdsEwQrC!hC0NB0IW1hSat9KmPq9wQJJ_IXXqZj19lyy7w0nzsyM

    ResponderExcluir