CENSURA, DITADURA, POLITICAMENTE CORRETO

Seguidores

terça-feira, 10 de outubro de 2017

A DITADURA DO GOOGLE - QUEM CONTROLA A INFORMAÇÃO CONTROLA TUDO



Google is coming after critics in academia and journalism. It’s time to stop them.
https://www.washingtonpost.com/news/posteverything/wp/2017/08/30/zephyr-teachout-google-is-coming-after-critics-in-academia-and-journalism-its-time-to-stop-them/

Google está vindo após críticas na academia e no jornalismo. É hora de pará-los.

Por Zephyr Teachout 30 de agosto
Seguir @ZephyrTeachout
Zephyr Teachout é professor associado de direito na Fordham University.

Conheça seu novo governo. (Mike Blake / Reuters)

Cerca de 10 anos atrás, Tim Wu, o professor de direito da Colômbia, que criou o termo de neutralidade da rede, fez este comentário precoce : "Para amar o Google, você precisa ser um pouco monárquico, é preciso ter fé na maneira como as pessoas tradicionalmente sentiram sobre o rei".

Wu estava certo. E agora, o Google estabeleceu um padrão de lobby e ameaça adquirir poder. Chegou a um ponto perigoso comum a muitos monarcas: o momento em que já não quer permitir a dissidência.

Este verão, uma pequena equipe de pesquisadores e jornalistas bem respeitados, a equipe dos Open Markets no think tank da New America (onde eu tenho sido companheiro desde 2014) ouviu falar sobre o Google, da maneira mais suave. Quando a União Européia multou o Google por preferir suas próprias empresas subsidiárias às suas empresas concorrentes nos resultados de pesquisa, era natural que os Open Markets, um grupo dedicado a estudar e a expor distorções nos mercados, incluindo o poder de monopólio, comentariam. Os pesquisadores publicaram uma declaração de 150 palavras que elogiam as ações da UE. Eles escreveram: "Ao exigir que o Google ofereça o mesmo tratamento aos serviços rivais em vez de privilegiar o seu próprio, [a UE] está protegendo o livre fluxo de informações e comércio de que dependem todas as democracias". Solicitaram à Comissão Federal de Comércio e ao Departamento de Justiça e procuradores gerais do estado aplicam a lei tradicional do monopólio americano, que exigiria a propriedade separada de produtos e serviços e as redes que vendem produtos e serviços.

[ Quer resgatar a América rural? Monopólios do busto. ] Play Video 1:33

E.U. fines Google record $2.7 billion in antitrust case The European Union’s antitrust chief announced a record breaking fine of $2.7 billion against Google for distorting internet search results. (Reuters)

O Google financiou a New America há anos em níveis elevados . Dentro de 24 horas após a declaração, os representantes do Google chamaram a liderança da Nova América expressando seu descontentamento. Duas alocações planejadas para a equipe do Open Markets foram repentinamente canceladas. Três dias depois, o chefe da equipe do Open Markets, o jornalista consumado Barry C. Lynn, recebeu uma carta do chefe do think tank, exigindo que toda a equipe saia da Nova América. O motivo? A declaração que elogia a decisão da UE contra o Google foi, de acordo com a presidente da Nova América, Anne-Marie Slaughter, " ameaçar a instituição ". (A partir desta escrita, Slaughter denunciou a história como falsa , alegando que Lynn foi demitido por falhas de "abertura" "E" colegialidade ".)

Quando o Google foi fundado em 1998, ele se comprometeu com o lema: "Não seja mau". Parece que o Google pode ter perdido de vista o que o mal significa, da maneira que a maioria dos monarcas faz: uma vez que você alcança um pináculo De poder, você começa a acreditar que todas as ameaças à sua autoridade são vilões e que você tem o direito de encerrar a dissidência. Como Lord Acton disse : "O poder despótico é sempre acompanhado de corrupção da moral". Aqueles com muito poder não podem deixar de ser maus. O Google, a empresa dedicada à livre expressão, escolheu silenciar a oposição, aparentemente sem qualquer sensação de ironia.

O Google nem sempre funcionou dessa maneira em relação aos think tanks, mesmo aqueles que financiou. O chefe da empresa-mãe do Google, Eric Schmidt, atuou no conselho da New America a partir de 2000 e foi presidente de 2008 a maio de 2016. O instituto dos Mercados Abertos estudou há muito o poder corporativo excessivo e defendeu a importância das leis antimonopolistas. Não foram previamente punidos por seu trabalho.

[Os democratas dizem que querem ir atrás dos monopólios. É por isso que essa é uma ótima idéia. ]

Mas nos últimos anos, o Google tornou-se ganancioso em possuir não apenas capacidades de pesquisa, vídeos e mapas, mas também a forma do discurso público. Como o Wall Street Journal informou recentemente, o Google recrutou e cultivou professores de direito que apoiam seus pontos de vista. E, como o New York Times informou recentemente, foi investido na construção de currículo para nossas escolas públicas e criou uma estratégia política para que as escolas adotem seus produtos.

Este ano, o Google está no caminho certo para gastar mais dinheiro do que qualquer empresa na América em lobby. Em 2015 , foi o terceiro maior gastador corporativo, pagando mais do que Exxon Mobil, Lockheed Martin ou os irmãos Koch no lobby. Muito do que está gastando seu dinheiro não tem nada a ver com detalhes técnicos em relação ao seu mecanismo de pesquisa e tudo a ver com o uso de seu poder em seu mecanismo de busca para excluir alguns concorrentes e construir poder sobre outros.

É hora de chamar o Google do que é: um monopolista em busca, vídeo, mapas e navegador, e um tirano de pele fina quando se trata de idéias.

O excesso imperial do Google na tentativa de encerrar um grupo de cinco pesquisadores prova o ponto que a versão inicial dos mercados abertos estava tentando fazer: quando as empresas obtêm muito poder, elas se tornam uma ameaça à liberdade de liberdade democrática e à liberdade de Cidadãos em geral.

Em 1948, no processo da Suprema Corte, EUA contra Columbia Steel Co. , O juiz William O. Douglas explicou que a filosofia tradicional da lei antitruste americana é que "todo poder tende a se transformar em um governo em si mesmo". O poder que controla a economia ... deve ser espalhado em muitas mãos para que a fortuna das pessoas não dependa do capricho ou capricho, dos preconceitos políticos, da estabilidade emocional de alguns homens autodesignados ".

[As grandes empresas contam grandes mentiras. ]

O Google está se formando em um governo por si só, e parece incapaz de mesmo ver o seu próprio excesso de alcance. Nós, como cidadãos, devemos responder de duas maneiras. Primeiro, apoie os valentes pesquisadores e jornalistas que defendem o poder excessivo; E segundo, apoiem as leis antimonopolistas tradicionais que nos permitirão ter grandes empresas inovadoras - mas não permitir que elas nos governem.

As ações do Google forçaram a equipe dos mercados abertos a sair da Nova América. Mas, felizmente, não conseguiu silenciá-los inteiramente. Os mercados abertos continuarão como uma organização separada, que presidirei. O seu trabalho que expõe os monopólios corporativos e a defesa da regulamentação é mais importante do que nunca. O Google mostra o porquê.

https://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&sl=en&u=https://www.washingtonpost.com/news/posteverything/wp/2017/08/30/zephyr-teachout-google-is-coming-after-critics-in-academia-and-journalism-its-time-to-stop-them/&prev=search

O GOOGLE ESTÁ PEDINDO AJUDA PARA CENSURAR?http://conspiratio3.blogspot.com.br/2016/09/o-google-esta-pedindo-sua-ajuda-para.html

Seis primeiros meses do Projeto Facebook para Jornalismo
http://www.conservadorismodobrasil.com.br/2017/08/seis-primeiros-meses-do-projeto-facebook-para-jornalismo.html

Requerimentos do governo ao Google
No dia 20 de abril de 2010,[9] o Google lançou uma ferramenta que mostra o número de requerimentos feitos pelos governos de diversos países diretamente ao Google ou ao YouTube. Intitulada Government requests (requerimentos governamentais), a ferramenta mostra um mapa do mundo com o número de requerimentos realizados por alguns governos para remoção de conteúdo ou obtenção de material de acesso restrito. Os dados apresentados no dia do lançamento são de 1 de julho de 2009 a 31 de dezembro de 2009. O governo brasileiro aparece como o que mais enviou requerimentos, tanto para remoção de conteúdo como para obtenção de material restrito.
Um exemplo da atuação do governo brasileiro é a censura ao site euqueroserra.blogspot.com, hospedado pelo Google.[10] Em 16 de junho de 2010, o Ministério Público Eleitoral (MPE) entrou com uma ação contra o Google para que o blog fosse tirado do ar e os autores fossem identificados. A alegação foi de que o blog continha propaganda em favor do candidato José Serra. Ação semelhante foi movida contra o site amigosdopresientelula.blogspot.com. Nesse caso, o blog era em favor da candidata Dilma Rousseff.[11]
https://pt.wikipedia.org/wiki/Censura_no_Brasil

2 PESOS E 2 MEDIDAS A FAVOR DA ESQUERDA VAI NOS LEVAR AONDE?
Na obra-prima “1984”, George Orwell já apresentava o objetivo dos totalitários: acabar até mesmo com a possibilidade de pensar sobre uma revolta contra os poderosos. A novilíngua seria o dicionário autorizado, com cada vez menos palavras para moldar uma mentalidade popular gradualmente mais estúpida e obediente.
https://medium.com/@leandroruschel/novil%C3%ADngua-dos-tempos-modernos-e848b965c33c


COMO 2017 VIROU 1984
Leandro Ruschel

“Todos os registros foram destruídos ou falsificados, todos os livros foram reescritos, todos os quadros foram repintados, todas as estátuas, todas as ruas, todos os edifícios renomeados, todas as datas foram alteradas. E o processo continua dia a dia, minuto a minuto. A história se interrompeu. Nada existe além de um presente interminável no qual o Partido tem sempre a razão.” George Orwell

"A liberdade de expressão é o maior antídoto contra governos totalitários, pois é a exposição das arbitrariedades cometidas que gera a revolta popular e a queda desse tipo de regime. Não é por acaso que a primeira medida de qualquer governo totalitário é controlar o fluxo de informações, usualmente através da censura e da imposição de penas pesadas para opiniões ou posturas contrárias ao regime. Esse processo está sob ameaça."

"A luta contra o “discurso de ódio” é uma bandeira levantada pela União Europeia, que poderia muito bem mudar o seu nome para União das Repúblicas Socialistas Europeias para deixar mais claras as suas intenções.
Em tese, o objetivo seria combater o a discriminação por raça, credo, orientação sexual ou etnia, mas por traz desse verniz de boas intenções temos a clara intenção de controlar o fluxo de informações e calar quem não concorda com o projeto socialista europeu e a sua brutal concentração de poder."

https://medium.com/@leandroruschel/como-2017-virou-1984-6b972f381c30

"Depois da vitória do Lula, em 2002, os intelectuais, que tradicionalmente assumem um papel crítico em relação aos governos, se tornaram cúmplices do poder. A partir do momento que o PT dominou a máquina estatal, o “aparelhamento” se intensificou na área cultural. Houve um processo de “instrumentalização” da cultura, em função dos interesses partidários, nas universidades, editoras, redações de jornais, na chamada indústria cultural como um todo. Muitos intelectuais tornaram-se meros reprodutores do discurso oficial do partido e do governo. Outros ficaram em silêncio, adotaram uma postura de cumplicidade muda, com receio de sofrer represálias, ser mal vistos, prejudicar seus ciclos de relações. Foi um triste espetáculo"
O caso do impeachment da Dilma foi escandaloso. Havia uma posição quase unânime na academia, principalmente nas ciências humanas, contrária ao impeachment da Dilma Rousseff. Tivemos até reitores de universidades federais se aproveitando de seu papel institucional para tomar posição contrária ao impeachment, de uma maneira claramente partidária e ideológica. Houve professores universitários de destaque chegando a comparar o impeachment da Dilma com o nazismo. O intelectual, o estudioso, tem de saber que uma coisa não teve nada a ver a outra. Se ele está disposto a sacrificar a própria reputação, a própria credibilidade, falando uma coisa dessas, é porque realmente a inteligência dele já está bastante corrompida
http://alias.estadao.com.br/noticias/geral,os-intelectuais-se-tornaram-cumplices-do-poder-afirma-antropologo,70001961783

UMA INTERNET LIVRE É MELHOR QUE UMA INTERNET SEGURA.
O MPF sabe muito bem que a triagem do que é verdadeiro e falso é por nossa conta. Ele sabe muito bem que censurando as verdades ficaremos sem o contraditório e sem referências para fazer essa triagem. É isso o que eles querem: UM DISCURSO ÚNICO.  http://conspiratio3.blogspot.com.br/2016/12/uma-internet-livre-e-melhor-ue-uma.html


Nenhum comentário:

Postar um comentário